3 Tipos de Mente: Entendendo a Mente para Aprender Melhor

Por Luciana Pirk 21/09/2021

Falar da mente é falar de um conceito um tanto abstrato, que não é nada claro para muitas pessoas. É uma palavra que visa abranger os processos que acontecem em nosso cérebro: pensamento, consciência, percepção, crenças, desejos, sensações, etc. A mente é o terreno onde ocorrem os processos conscientes, inconscientes e funcionais.

A mente se reflete em ideias, ações e diferentes manifestações da atividade cerebral. Tudo isso é produzido a partir de processos estruturados. Em outras palavras, toda essa atividade mental não é aleatória, mas obedece a padrões ou projetos que são aprendidos ao longo da vida. Isso não significa que seja algo imutável. No cérebro, tudo é suscetível a mudanças.

De acordo com a forma como esses processos ocorrem, alguns estudiosos propuseram a existência de três tipos de mente: a rígida, a fluida e a flexível. Cada um deles tem características próprias e obedece a um tipo diferente de lógica. Vamos dar uma olhada em cada um deles.


3 Tipos de Mente

 

Mentes rígidas: resistência em adotar novas perspectivas

A educação é o fator que mais influencia a configuração de nossas mentes. É normal que pessoas com mentes rígidas também sejam filhos de pais rígidos. Essa rigidez é, em princípio, um mecanismo de defesa. As ideias fixas proporcionam uma sensação de maior controle e o protegem da incerteza. Aqueles que possuem essas características são ideais para trabalhos e atividades disciplinadas.

Por outro lado, aqueles que têm mentes rígidas também podem ser um pouco superficiais. Eles não param para analisar ou avaliar a validade de ideias ou ações. Eles presumem que tudo deve acontecer de forma ordenada, que também é predeterminada.

 Isso os leva a ter grandes dificuldades para serem criativos e por isso costumam se limitar a se repetir. Eles podem se sentir muito confusos e desamparados se algo ou alguém os tirar de sua zona de conforto. A falta de controle sobre as situações costuma gerar muita angústia e eles sofrem por isso.

 

Mentes fluidas: uma perspectiva camaleônica

O oposto de mentes rígidas é verdadeiro para mentes fluidas. Eles são incapazes de ser consistentes e é por isso que se adaptam a tudo o que acontece ao seu redor. Eles tomam a forma do container onde estão alojados. Eles são característicos de pessoas que abriram mão de qualquer tipo de controle sobre suas circunstâncias.

Esse tipo de mente é representativo de pessoas que têm necessidades ou precisam de alguém para direcioná-las. Eles têm dificuldade de tomar decisões e, mais ainda, de se posicionar sobre as coisas. Eles não sabem o que pensar. E como não sabem, delegam essa tarefa a outras pessoas que sentem ter a certeza que lhes falta.

Aqueles que têm esse tipo de mente também têm dificuldade em ser determinados. Eles realmente não estabelecem metas, em vez disso, permitem que outros imponham metas a eles, o que é o suficiente para eles. Eles podem ser muito bons em tarefas que exigem muita subordinação. De uma forma ou de outra, eles complementam mentes rígidas.

 

Mentes flexíveis: um ponto de equilíbrio

Mentes flexíveis são caracterizadas por serem adaptáveis. Ser adaptável não significa que, como mentes fluidas, aceitem passivamente tudo o que acontece. Sua adaptação é pensada e criativa. Eles sabem situar-se na realidade sem impor a sua vontade, mas também sem aceitar submissamente a dos outros.

Nesse caso, os pensamentos guiam as ações. A realidade é um objeto que se processa e para o qual existe análise e expansão. Há abertura para discussões, o que significa que mentes flexíveis podem mudar opiniões e ajustar ideias. É, de certa forma, uma mente humilde. Não acredita que possui a verdade, mas não cede ao irracional ou ao errôneo, pois tem seus próprios critérios.

Isso torna o relacionamento com o mundo mais amigável e construtivo. Esse tipo de mente também cria as condições para que ela continue se desenvolvendo. A vida é mudança e a mudança é positiva porque nos desafia e ao mesmo tempo nos ajuda a crescer.

 

Nenhum de nós tem apenas um desses tipos de mente. Todos nós temos um pouco de cada uma delas, embora as características de uma ou de outra geralmente predominem. Também não se pode dizer que existem “mentes ruins” e outras “mentes boas”. Porém, vale a pena entender que existem formas de pensar que nos ajudam a ser mais felizes, enquanto outras nos deixam estagnados ou dominados pelos outros.

159 visualizações